Follow by Email

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

2011 MOSCA


                Trabalho de artista plástico apresentado na Fundação Serralves
                                             Porto, Portugal, no ano de 2009

MOSCA
Celso de Lanteuil
Rio, 05/09/2011
Homenagem a Paulo Mosca


Zumbiu
Zumbiu
Passou batendo asas
Sem saber se ia voltar

Zombou
Zombou
Sem rota certa
Foi e ninguém mais viu

Nasceu
Cresceu
Em 24 horas
Não morreu

Olhou e viu
Nas várias linhas de resolução
Enxergou em partes
Pulsando teu coração

Olhou
Voou, voou
Sem proa certa
Foi e desapareceu

Brilho de uma vida que não fica
Como a Estrela que logo se desliga
Não sabe se prossegue
Ou se esquece

Entende que o afeto
É a teia que aquece
Entrega-se no olhar
Não tem tempo a perder

Recolhe suas asas
Antes do amanhecer
Deixa um Adeus
De quem muito sobrevoou

Um comentário: