Follow by Email

quinta-feira, 31 de maio de 2012

POETAS E POEMAS

 Poesia nas ruas de Maputo,
Moçambique, 27/10/2011

SÉRIE POEMAS INSPIRADOS NUM INDIGNADO 2
Celso de Lanteuil
UK, 29/04/2007
Inspirado num poema de Brecht
POEMAS 1913-1956, Editora Brasiliense

Poemas falam de amores
De dores, dos piores medos, das melhores horas
De traições, de maldições
Covardias e heresias

Pode um poema tudo descrever?
Saberá o poeta melhor compreender?
Versos iludem, nos deixam grogues
E também nos levam a lutar

Apesar de tudo ver, indicar, denunciar e gritar
Poetas e poemas não impedem psicopatas de torturar
Egoístas de trair, fascistas de subjugar
Falsos de rir e mentir

Mas nos fazem pensar sobre os rumos que seguem os homens
Em mato, tu roubas, ele tortura
Nós traímos, vós invejais
Eles fazem poemas

Um bom poema é a contramão
A morfina que elimina a dor
O amor que sufoca o ódio
A água que acaba com a sede

Travesseiro para cabeças cansadas
Alimento para espíritos famintos
Eu verso, tu escreves, ele cria
Nós compomos, vós fazeis rimas, eles interpretam as emoções

Seria possível a vida sem os poemas? Creio que não
Poetas e versos são tão necessários quanto um abrigo
Um grande amor, uma obra de arte, uma mente brilhante
Um mestre da ciência ou um grande líder espiritual

É uma necessidade do homem para prosseguir
Um remédio eficaz para corações angustiados
Poetas e poemas nos fazem repensar sobre as coisas simples da vida
E da mesma forma, pelos absurdos que ela nos revela

Poeta de rua em Maputo
Moçambique, 27/10/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário